Brasil: 41° Muestra Internacional de Cine en San Pablo

Não há festival de cinema mais cinéfilo do que a Mostra Internacional de Cinema, que chega à 41ª edição em São Paulo. É uma verdadeira festa para quem gosta de se embrenhar pela amplidão do mundo por meio dos filmes.

O evento começa hoje na capital paulista e segue até 1º de novembro com um amplo panorama de obras de diversas partes do mundo, somando quase 400 títulos. Há sempre surpresas, filmes que ninguém conhece de países remotos, mas também as obras mais badaladas do ano que marcaram presença nos principais festivais.

Dentre os destaques está a Palma de Ouro do último Festival de Cannes, o sueco The Square, de Ruben Östlund, além do longa finlandês O Outro Lado da Esperança, de Aki Kaurismaki, vencedor do prêmio de direção no Festival de Berlim. Do Festival de Veneza, o francês Custódia, de Xavier Legrand (melhor direção).

Três Anúncios para um Crime, de Martin McDonagh, é um dos representantes dos EUA. Desde que venceu o prêmio de melhor roteiro no Festival de Veneza, segue como um dos mais cotados para concorrer ao Oscar em 2018.

O artista plástico e cineasta chinês Ai Weiwei assina a programação visual deste ano. O filme de abertura é dirigido por ele, o documentário Human Flow – Não Existe Lar se Não Há para Onde Ir, que investiga os rumos de vida de refugiados pelo mundo. – a Mostra revela que está conectada com as questões urgentes atuais.

“O evento é plural, tem várias visões. E o cinema faz a gente ficar quieto, escutar e ver outro mundo por algumas horas. A capacidade de reflexão é uma das características mais importantes do humano e a Mostra promove isso através dos filmes”, diz a diretora geral, Renata de Almeida.

Outros destaques que são mais conhecidos do público brasileiro é o mais novo longa da cineasta argentina Lucrécia Martel, Zama, uma coprodução com o Brasil. Há também o filme póstumo do cineasta iraniano Abbas Kiarostami, 24 Frames.

Nouvelle Vague

Agnès Varda, um dos nomes fundamentais da Nouvelle Vague, a única mulher da patota que revolucionou o cinema nos anis 1960, ganha uma retrospectiva dos principais clássicos, como Cléo das 5 às 7 (1962), As Duas Faces da Felicidade (1965) e Os Renegados (1985).

Ainda em plena atividade, a diretora lançou em Cannes Visages, Villages, dirigido em parceria com o fotógrafo JR.

O filme venceu o prêmio Olho de Ouro, de melhor documentário no Festival de Cannes, e também será apresentado na Mostra.

Uma das marcas fortes do evento é também apresentar ao público brasileiro diretores renomados lá fora e pouco conhecidos por aqui.

Um deles é o cineasta francês Paul Vecchiali, desta vez também homenageado e que vem a São Paulo para conversar com o público sobre os filmes. Dentre eles, o mais recente, Os Sete Desertores.

Já o cineasta suíço Alain Tanner, um dos mais prestigiados do país, é representante da Nouvelle Vague Suíça.

Ele também ganhou visibilidade a partir da Mostra e tem algumas das obras exibidas, como Jonas que Terá Vinte e Cinco Anos no Ano 2000 (1976) e Messidor (1979).

Além disso, a Suíça é o país escolhido este ano como foco. A Mostra apresenta um panorama extenso de obras recentes feitas no país, com uma filmografia pouco conhecida.

Nela estão o representante do país ao Oscar, Mulheres Divinas, de Petra Volpe, e a obra de animação de Georges Schwizgebel.

Como de hábito, a Mostra Internacional de Cinema também celebra o cinema brasileiro. Serão exibidos 64 produções nacionais, de diversos estados. Da Bahia, Abaixo a Gravidade, de Edgard Navarro, e Café com Canela, de Glenda Nicácio e Ary Rosa, compõem a seleção.

Homem Livre, de Álvaro Furloni, em parceria com o roteirista baiano Pedro Perazzo, também será apresentado, assim como Arábia, de Affonso Uchoa e João Dumans, grande vencedor do Festival de Brasília.

Um dos longas nacionais mais aguardados é As Boas Maneiras, filme que será apresentado ao público baiano na abertura do Panorama Internacional Coisa de Cinema, em Salvador, no próximo dia 8 de novembro. Dirigido pela dupla Juliana Rojas e Marco Dutra, venceu, recentemente, o prêmio de melhor filme no Festival do Rio e levou o prêmio especial do júri em Locarno (Suíça), onde estreou.

Haverá, ainda, um prêmio especial ao ator Paulo José pela carreira, com exibição do documentário em homenagem e ele, Todos os Paulos do Mundo, de Rodrigo de Oliveira e Gustavo Ribeiro – o filme também será exibido no Panorama, com a presença do homenageado.

Publicado en ATarde

41ª Mostra Internacional de Cinema de SP conta com filmes em realidade virtual

41ª edição da Mostra Internacional de Cinema vai até 1º de novembro em São Paulo e vai exibir 394 filmes em 41 salas de cinema. Entre os destaques, a seleção de filmes que falam sobre a questão dos refugiados em todo o mundo, e a participação de 98 filmes dirigidos por mulheres. A Mostra também traz nesta edição, pela primeira vez, uma programação de curtas-metragens em realidade virtual.

Narrados por meio de uma proximidade imersiva e marcante, os títulos que serão apresentados trabalham temas que vão desde conflitos desconhecidos na África e tragédias ambientais no Brasil até revelações pessoais e realidades prisionais e sociais. Veja aqui mais informações.

As sessões acontecerão no Cinesesc, de 19/10 a 01/11 em diversos horários: 15h, 16h, 17h, 18h, 19h e 20h. A entrada será gratuita e mediante a retirada de ingresso na bilheteria do Cinesesc. Os espectadores poderão escolher um dos filmes da programação para assistir de cada vez.

Os filmes serão apresentados em mais de 30 espaços, entre cinemas, espaços culturais e museus espalhados pela capital paulista, incluindo exibições gratuitas e ao ar livre. A seleção deste ano faz um apanhado do que o cinema contemporâneo mundial está produzindo, além das principais tendências, temáticas, narrativas e estéticas produzidas em todo o mundo.

Isso se observa desde o filme de abertura, Human Flow – Não Existe Lar Se Não Há Para Onde Ir, do artista chinês Ai Weiwei, encabeçando uma lista de longas que abordam a grave crise mundial dos refugiados, até a homenageada pelo Prêmio Humanidade, a cineasta belga Agnès Varda, ressaltando a presença marcante das mulheres diretoras nesta edição.

Outra homenagem deste ano é para o diretor Paul Vecchiali, que receberá o Prêmio Leon Cakoff. E, como tradicionalmente faz nas últimas edições, destacando a produção cinematográfica de um país ou região, a 41ª Mostra apresenta o Foco Suíça, com longas contemporâneos, uma retrospectiva da obra de Alain Tanner e a exibição de curtas do animador Georges Schwizgebel.

Além de Apresentações Especiais e das Retrospectivas do cineasta suíço e dos homenageados, a Mostra Internacional de Cinema apresenta as produções selecionadas nas seções da Competição Novos Diretores, que exibe títulos de diretores que tenham realizado até dois longas (os mais bem votados pelo público serão vistos pelo Júri Internacional, que escolhe posteriormente os que vão receber o Troféu Bandeira Paulista), e Perspectiva Internacional, que apresenta títulos recém-premiados e trabalhos de diretores já consagrados. A produção brasileira também ganha destaque com o Prêmio Petrobras de Cinema, que contemplará dois filmes brasileiros da seleção, para apoiar a distribuição dos mesmos no circuito comercial.

Seleção dos filmes em realidade virtual da 41ª Mostra.

AFTER SOLITARY, de Cassandra Herrman, Lauren Mucciolo (EUA)

BLOODLESS, de Gina Kim (Coreia do Sul)

DOLPHIN MAN, de Benoít Litché (França)

EXTRAVAGANZA, de Ethan Shaftel (EUA)

FOGO NA FLORESTA, de Tadeu Jungle (Brasil)

FREE WHALE, de Peibin Zhang (China)

I SAW THE FUTURE, de Fraçios Vautier (França)

I, PHILIP, de Pierre Zandrowicz (França)

LEGGENDA, de Leslie Lévi (Bélgica, França)

NOTES ON BLINDNESS: INTO DARKNESS, de Arnaud Colinart, Amaury La Burthe (França, Reino Unido)

OUT OF EXILE: DANIEL’S STORY, de Nonny de la Peña (EUA)

NOTHING HAPPENS, de Michelle Kranot, Uri Kranot (Dinamarca, França)

PLANET (INFINIT), de Momoko Seto (França)

PROXIMA, de Matthieu Pradat (França)

RIO DE LAMA, de Tadeu Jungle (Brasil)

SERGEANT JAMES, de Alexandre Perez (França)

WE WHO REMAIN, de Trevor Snapp, Sam Wolson (Sudão, EUA)

STEP TO THE LINE, de Ricardo Laganaro (EUA)

THE DREAM COLLECTOR, de Li Mi (China)

SERVIÇO:

Local: Cinesesc

Data: 19/10 a 01/11

Horários: 15h, 16h, 17h, 18h, 19h e 20h

* Entrada gratuita e mediante retirada de ingresso na bilheteria do Cinesesc.

* A entrada se dará em grupos com até 7 pessoas.

* Cada espectador poderá ver um filme por retirada de ingresso.

* Será necessário apresentar documento com foto.

Site: www.mostra.org

Facebook: https://www.facebook.com/mostrasp/

Twitter: @mostrasp

Instagram: @mostrasp

Publicado en Globo

Ver programación completa aquí

También podría gustarte