Pocnejo

Pocnejo: filho de Solimões quebra barreiras e lança sertanejo gay

Por Alexandre Putti

Gabeu tem 21 anos e está decidido a acabar com o preconceito na música rural do Brasil
Quando se fala em música sertaneja, vem automaticamente à mente um ambiente com homens de fivela, chapéu na cabeça cantando sobre amor e traição. Aos poucos, as mulheres foram ganhando espaço dentro desse segmento e o “feminejo” – movimento feminista da música sertaneja – se tornou uma revolução. São elas, atualmente, que dominam a cena – e os views.

O movimento LGBT, porém, seguia escondido. Seguia, porque Gabeu, um jovem do interior de São Paulo de apenas 21 anos, quer mudar isso. Ele acaba de lançar o movimento “pocnejo”, o sertanejo das gays afeminadas.

Gabeu, nome artístico de Gabriel Felizardo, é filho do cantor sertanejo Solimões, da dupla com RioNegro. Com a influência do pai, o músico cresceu nesse universo e teve todo o apoio familiar para dar início em sua carreira.

Solimões sempre apoiou o filho e esteve ao lado dele em todas as situações, inclusive na criação do movimento. Gabeu conta tudo sobre sua relação com o pai e sua carreira em entrevista exclusiva.

Carta Capital

 

También podría gustarte