Brasil: la música como herramienta transformadora

813

Buscando promover transformação social através da música, o projeto vai realizar 30 concertos didáticos para o ensino fundamental em escolas da Zona Norte e Oeste através de apresentações e interações com expoentes da música popular e erudita, como Marcel Powell, Duo David Ganc e Fabio Adour, Duo Kristina Augustin e Mario Orlando, Duo Daniela Spielmann e Sheila Zagury, Ayran Nicodemo, e Terno Carioca.

Foi a partir da experiência vivida nos anos de 2013 e 2014, quando da realização dos projetos aprovados no Prêmio Funarte de Concertos Didáticos, que surgiu o desejo de implantar uma ação continuada de formação de plateia, e mais que isso, de contribuir para a formação cultural dos estudantes da rede pública de ensino do Rio de Janeiro.É com o repertório de importantes compositores, como Tom Jobim, Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Bach, Villa-Lobos, Baden Powell e tantos outros, que o Projeto Circuito de Concertos Didáticos vai estimular a discussão entre as fronteiras da música erudita e popular entre mais de 1000 estudantes de DEZ Escolas Públicas Municipais do Rio de Janeiro.

Veja aqui o Cronograma

O projeto tem a direção geral e curadoria assinada pela produtora cultural Kryka Pujol e a direção executiva e produção de Margareth M Monteiro,o patrocínio é da Vivo, do Governo do Rio, da Secretaria de Estado de Cultura e da Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro. O circuito começa na segunda quinzena de Outubro, nas semanas entre os dias 17 e 21, e entre os dias 24 e 27, retornando às mesmas escolas em novembro.O desafio é estimular nos alunos de 6 a 14 anos, a percepção de sons de diversas naturezas e procedências e fomentar a formação de plateia para a música instrumental popular e erudita.

Serão ao todo, 30 concertos didáticos, especialmente desenvolvidos por músicos de grande reconhecimento no cenário musical nacional e internacional. Dentre os eruditos, se apresentarão o violinista Ayran Nicodemo, o Duo David Ganc e Fabio Adour (flauta e violão) e o Duo Kristina Augustin e Mario Orlando (viola da Gamba). Na música popular, integram o projeto o violonista Marcel Powell, filho de Baden Powell, que fará uma introdução e apresentação da obra do pai; o Duo Daniela Spielmann (saxofone) e Sheila Zagury (teclado), que levarão aos alunos a obra de Jacob do Bandolim; e o Terno Carioca formado por Lena Verani (clarineta), Luiz Flavio Alcofra (violão) e Pedro Aragão (violão).

O Circuito de Concertos Didáticos busca promover a Escola pública como espaço de educação integral da comunidade, em prol do desenvolvimento da sensibilidade e criatividade humana por meio do contato com a linguagem artístico-musical, visando à formação do cidadão, capaz de contribuir ativamente com a transformação sócio-cultural, necessária para a construção de uma sociedade mais ética e digna.

Publicado en Desacato

Série de concertos didáticos hega a escolas de Jacarepaguá

Por Rodrigo Berthone

A partir de outubro, escolas municipais de Jacarepaguá assistirão a apresentações de música popular e erudita. Os eventos fazem parte do Circuito de Concertos Didáticos e contam com a participação de expoentes nacionais e internacionais como Marcel Powell, filho de Baden Powell; Sheila Zagury; Ayran Nicodemo; e os duos David Ganc e Fabio Adour (flauta e violão) e Mario Orlando e Kristina Augustin (viola da gamba). Os concertos didáticos, voltados para alunos entre 6 e 14 anos, incluem apresentações em escolas de Praça Seca, Taquara, Anil e Rio das Pedras.

Criadora da proposta, a produtora cultural Kryka Pujel explica que a principal função dos concertos é desmistificar a ideia da inacessibilidade da música clássica, além de levantar a discussão sobre o que é erudito e o que é popular.

— Devemos tirar da cabeça dessas crianças e adolescentes a ideia de que este tipo de música não pertence ao mundo deles, que é inacessível. Quando nós trazemos música diferente para essas crianças, estamos ampliando o horizonte delas. Queremos fazer com que elas se considerem pertencentes a esse mundo também — explica Kryka, que procura rechaçar rótulos, principalmente os que remetem à palavra “erudito”. — Só a nomenclatura já assusta. Deveríamos, talvez, passar a chamar apenas de “música de concerto» — sugere a produtora.

O projeto dará aos estudantes da rede pública a possibilidade de conhecer o repertório de compositores renomados e ouvir instrumentos pouco comuns no cotidiano como a clarineta, a flauta, o saxofone e a viola da gamba. Flautista reconhecido internacionalmente, saxofonista e arranjador, David Ganc, um dos nomes confirmados na programação de concertos, diz que aplicará aos encontros a experiência adquirida nos últimos anos com o público jovem.

— A primeira vez que fiz um trabalho didático em escolas foi há dez anos e, neste período, aprendemos a dialogar com esse público. Apresentamos a música erudita de forma inteligente e ao mesmo tempo lúdica para manter a atenção dos jovens. Acontece também um bate-papo onde mostramos a eles que a música erudita, na verdade, está, sim, no dia a dia deles e eles nem percebem — explica Ganc.

Diretora adjunta da Escola Municipal Sobral Pinto, na Praça Seca, a pedagoga Vera Lúcia Braga comemora a inclusão do colégio na agenda do projeto. Para ela, o contato com novos gêneros musicais é essencial para a formação dos jovens.

— Na maior parte das vezes, o cotidiano desses alunos inclui basicamente o funk como vivência musical. Não deixa de ser uma manifestação cultural, mas de forma alguma pode ser a única. Eles precisam ter contato com outros tipos de arte. Se iniciativas como essa modificarem as possibilidades da vida de um aluno para melhor, já valeram a pena. Acredito que a música seja capaz disso — afirma a diretora.

Além da Sobral Pinto, haverá apresentações nas escolas municipais Rio das Pedras, Primário Azerbaijão, Anil e no Ciep Compositor Donga, na Taquara, entre os dias 17 e 21 de outubro e de 24 a 28 de outubro. Em novembro, o projeto retorna às mesmas unidades de ensino.

Publicado en O Globo
También podría gustarte