«Todo es verdad»: Festival de documentales en Brasil

1.074
Festival é espelho. Assim é portanto esta 21a edição do É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários. O estado do documentário é forte. A vitalidade estética do cinema do real jamais foi tão consensual. Nunca tantos o assistiram, debateram, produziram. Nem tudo são flores, sabemos, sobretudo do lado econômico. Mas o reposicionamento da produção documental na cena cultural contemporânea é um fato incontornável.
É disso prova inconteste a própria consolidação do É Tudo Verdade, que inicia a terceira década de sua história como já o mais longevo evento do gênero na América Latina. Um festival é tão vigoroso quanto a produção que apresenta e poucas edições foram tão pródigas em filmes inesquecíveis como creio ser esta. Nunca o processo de escolha pelo comitê de seleção foi tão desafiador, tanto de obras brasileiras quanto internacionais, de curta, média ou longa-metragem. Agradecemos imensamente ao número recorde de cineastas que nos confiaram seus filmes, presentes ou não no programa final.
A trajetória de Carlos Nader, homenageado com a retrospectiva brasileira deste ano, funciona como uma parábola dessa evolução contemporânea do documentário. Em 1996, quando começava a história do É Tudo Verdade, na aurora da revolução digital, Nader inseria-se no talentoso grupo de videoartistas que marcava o cenário brasileiro. Ele já fazia documentários mas, é curioso lembrar, sua identidade pública como documentarista estava longe de ser consensual.
Desde então, as fronteiras do gênero se expandiram, Nader permaneceu fiel a si mesmo e ocupou a linha de frente da produção nacional, com obras para cinema, televisão e exposições. Como símbolo deste processo, participou com quatro longas-metragens de mostras competitivas do festival, vencendo por três vezes, sendo duas consecutivamente, em 2014 (“Homem Comum”) e 2015 (“A Paixão de JL”).
A multiplicação dos modelos de produção do documentário e das formas de acessá-lo aproximou-o de todos e de cada um de nós, das salas de cinema ao celular em nossos bolsos. Com isso, tornaram-se ainda mais essenciais janelas de excelência como este festival, e seus eventos irmãos mundo afora, ao cumprir a desafiadora missão de direcionar os olhares em meio à algaravia audiovisual cotidiana.
Além da tomada anual do pulso da produção, o É Tudo Verdade almeja auxiliar na reflexão sobre os fatos do mundo. Não poderia faltar ao programa em 2016, portanto, uma mostra especial dedicada à primeira visita dos Jogos Olímpicos à América do Sul, com a realização das Olimpíadas no Rio em agosto próximo. O ciclo Cinema Olympia visa assim compreender a íntima relação, estabelecida desde suas origens, entre o cinema, notadamente o documental, e o maior evento esportivo planetário.
Nada disso seria possível, contudo, sem a confiança das instituições e empresas, privadas e públicas, que edificam conosco este festival. Tampouco, sem o empenho de uma extraordinária equipe.
A todos, aqui incluídos convidados e espectadores, nossa imensa gratidão. Tenham um lindo festival!
Publicado en É tudo Verdade

É TUDO VERDADE – 20º FESTIVAL INTERNACIONAL DE DOCUMENTÁRIOS

SAIBA MAISsobre o filme

Principal evento dedicado à cultura do documentário na América Latina, o É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários chega à sua 20ª edição.

Celebrando a efeméride, o CCBB, copatrocinador do festival desde sua origem, exibe a Retrospectiva “20 aos Pares”, que aponta o diálogo entre obras que se destacaram na programação destas duas décadas, assim como a Retrospectiva Brasileira, que comemora os 80 anos do documentarista Vladimir Carvalho.

PROGRAMAÇÃO

Dia 10, sexta-feira

14h – Retrospectiva Brasileira: Vladimir / O País De São Saru / Vladimir Carvalho / Brasil / 85min / 35mm / 12 anos
16h – Retrospectiva Brasileira: Vladimir / O Homem De Areia / Vladimir Carvalho / Brasil / 116min / 35mm / 12 anos
18h – Retrospectiva Brasileira: Vladimir, 80
– Vladimir Carvalho: Um Olhar Solidário / Walter Carvalho / Brasil / 30min / H264 / Livre
– Vladimir Carvalho: Conterrâneo Velho De Guerra / Dácia Ibiapina / Brasil / 54min / H264 / Livre
19h30 – Retrospectiva Brasileira: Vladimir, 80 / Conterrâneos Velhos De Guerra / Vladimir Carvalho / Brasil / 153min / 35mm / Livre

 

Dia 11, sábado

14h – Retrospectiva Brasileira: Vladimir, 80 / O Homem De Areia / Vladimir Carvalho / Brasil / 116min / 35mm / 12 anos
16h – Retrospectiva Brasileira: Vladimir, 80 / O Evangelho Segundo Teotônio / Vladimir Carvalho / Brasil / 90min / 35mm / Livre
18h – Retrospectiva Brasileira: Vladimir, 80 / O País De São Saruê / Vladimir Carvalho / Brasil / 85min / 35mm / 12 anos
20h – Retrospectiva Brasileira: Vladimir, 80 / Vladimir Carvalho, Um Olhar Solidário / Walter Carvalho / Brasil / 30min / H264 / Livre
– Vladimir Carvalho: Conterrâneo Velho De Guerra / Dácia Ibiapina / Brasil / 54min / H264 / Livre

Dia 12, domingo

14h – Retrospectiva Brasileira: Vladimir Carvalho, 80
– Vladimir Carvalho, Um Olhar Solidário / Walter Carvalho / Brasil / 30min / H264 / Livre
– Vladimir Carvalho: Conterrâneo Velho De Guerra / Dácia Ibiapina / Brasil / 54min / H264 / Livre
15h30 – Retrospectiva Brasileira: Vladimir, 80 / Conterrâneos Velhos De Guerra / Vladimir Carvalho / Brasil / 153min / 35mm / Livre
18h – Retrospectiva Brasileira: Vladimir, 80 / O Homem De Areia / Vladimir Carvalho / Brasil / 116min / 35mm / 12 anos
20h  Retrospectiva Brasileira: Vladimir, 80 / O Evangelho Segundo Teotônio / Vladimir Carvalho / Brasil / 90min / 35mm / Livre

Dia 13, segunda-feira

14h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / A Casa Da Rua Arbat / Marina Goldovskaya / França, Russia / 59min / H264 / 14 anos
16h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / No Buraco / Juan Carlos Rulfo / Mexico / 84min / H264 / 12 anos
18h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / A Televisão E Eu / Andrés Di Tella / Argentina / 75min / H264 / 10 anos
20h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / Santiago / João Moreira Salles / Brasil / 79min / H264 / Livre

Dia 15, quarta-feira

14h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / Entrada Para A Paz Celestial / Richard Gordon, Carma Hinton / Eua / 188min / H264 / 14 anos
18h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / Fengming – Memórias De Uma Chinesa / Bing Wang / 184min / H264 / 14 anos

Dia 16, quinta-feira

14h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / Cidadão Boilesen / Chaim Litewski / Brasil / 92min / H264 / 12 anos
16h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / Tropicália / Marcelo Machado / Brasil / 87min / H264 / 12 anos
18h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / Santo Forte / Eduardo Coutinho / Brasil / 80min / H264 / 12 anos
20h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / O Sicário, Quarto 164 / Gianfranco Rosi / França / 84min / H264 / 14 anos

Dia 17, sexta-feira

14h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / O Sem-Visão / Miroslav Janek / Republica Tcheca / 53min / 35mm / 14 anos
16h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / Primo De Segundo Grau / Alan Berliner / Eua / 78min / H264 / 14 anos
18h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / O Mar Que Pensa / Gert De Graaf / Holanda / 100min / H264 / 10 anos
20h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / As Cinco Obstruções / Lars Von Trier, Jørgen Leth / Dinamarca / 90min / H264 / 14 anos

Dia 18, sábado

14h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / A Alma Do Osso / Cao Guimarães / Brasil / 74min / H264 / Livre
16h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / O Prisioneiro Da Grade De Ferro / Paulo Sacramento / Brasil / 123min / 35mm / 16 anos
18h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / Por Que Lutamos / Eugene Jarecki / Eua / 98min / H264 / 12 anos
20h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / Cinco Câmeras Quebradas / Gui David, Emad Bornat / França / 90min / H264 / 14 anos

Dia 19, domingo

14h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / Tin Tin E Eu / Anders Østergaard / Dinamarca / 74min / H264 / 10 anos
16h – Retrospectiva 20! Vinte Aos Pares / Jasmine / Alain Ughetto / França / 70min / H264 / 12 anos
18h – Welles, 100 / É Tudo Verdade: Baseado Em Um Filme Inacabado De Orson Welles / Orson Welles, Norman Foster, Bill Khron, Richard Wilson, Myron Meisel / Eua / 89min / H264 / 12 anos
20h – Welles, 100 / F For Fake: Verdades E Mentiras / Orson Welles / Alemanha, França, Ira / 90min / H264 / 10 anos

Publicado en Cultura Banco Do Brasil

 

También podría gustarte