Festival de Gramado

47° Festival de Gramado anuncia sus filmes en competición

A pocas semanas de la cuadragésima séptima edición, el Festival de Cine de Gramado, anunció los participantes de la muestra competitiva de este año 2019. Del 16 al 24 de agosto, serán exhibidos 19 largometrajes y 34 cortometrajes, entre muestras brasilera, internacional y gaúcha, en el Palacio de los Festivales, además de las exhibiciones paralelas y especiales.

Los filmes seleccionados para disputar el premio en la categoría de mejor extranjero fueron anunciados por los organizadores este martes junto con los 7 largometrajes brasileños que optarán por el “Kikito” a mejor película nacional, y fueron escogidos de entre 290 inscritos (195 brasileños y 95 extranjeros).

Este año, también habrá una sección competitiva de largometrajes gaúchos, que será anunciado en las próximas semanas. La muestra competitiva nacional está compuesta por películas, que según el curador Marcos Santuário, representan lo mejor del cine brasilero de la actualidad.

“La idea es tener una mezcla. Colocar en escena toda nuestra diversidad, no restringirnos al cine de autor, como sucedió en décadas pasadas. Sino también proyectar largometrajes que se ganarán la simpatía del espectador de los multicines.”, acotó Santuário.

Siete son las películas que conforman la selección latinoamericana del 47º Festival de Cine de Gramado. Se trata de producciones de otros tantos países: México, Chile, Ecuador, Costa Rica, Argentina, Uruguay y Bolivia.

Los films seleccionados para el Kikito latinoamericano son:

– A Son of man – La maldición del tesoro de Atahualpa, de Jamaicanoproblem  (Ecuador)
– Dos Fridas, de Ishtar Yasin (México)
– El Despertar de las Hormigas, de Antonella Sudasassi (Costa Rica)
– En el pozo, de Bernardo y Rafael Antonaccio (Uruguay)
– La forma de las horas, de Paula de Luque (Argentina)
– Muralla, de Rodrigo Patiño (Bolivia)
– Perro Bomba, de Juan Caceres (Chile)

A lo largo de este año, el Festival atravesó situaciones difíciles que afectaron a la organización, pero no el calendario del festival. Con la muerte de la curadora argentina Eva Piwowarski en enero, se decidió no reemplazarla y continuar con los otros curadores, Marcos Santuario y Rubens Ewald Filho. En junio pasado, el fallecimiento del crítico Rubens Ewald, supuso un shock para todos los amigos del Festival del estado del Rio Grande Do Sul. Y sin embargo, todo continuó, y la edición 2019  es casi una realidad.

“Cuando perdimos a Rubens, las inscripciones ya estaban cerradas. Él y yo estábamos trabajando desde el principio del año, ya teníamos todo muy avanzado”, dijo el crítico y periodista Marcos Santuario, curador del Festival desde 2013.

Aunque con estas pérdidas irreparables y con el escenario del país poco favorable, con grandes festivales transferidos o incluso cancelados, el Festival de Cine de Gramado se mantiene firme y llega en 2019 preparado para enfrentar las adversidades. Con un presupuesto de 4 millones de reales, similar al del año pasado (incluidos los recursos captados por medio de leyes de fomento a la cultura), los patrocinadores y los recursos de Gramadotur, es posible mantener la estructura y garantizar el estándar y la calidad que ya son una tradición en nuestro Festival. El evento es un activo de inmenso valor para la ciudad, para los gramadenses y para el país.

Mercado audiovisual

En 2019, el espacio de mercado del Festival de Cine de Gramado se centra en el potencial del audiovisual como un sector clave de la industria creativa y las convergencias tecnológicas involucradas. Los temas centrales incluirán juegos digitales, realidad virtual, animación, transmisión y sostenibilidad.

Los paneles y talleres se llevarán a cabo entre el 20 y el 21 de agosto de 2019, marcando la tercera edición de esta iniciativa. El espacio dedicado al público universitario, el HUB Universidades, también está de vuelta. Las mesas de discusión y los shows cortos acontecerán durante 17, 18 y 19 de agosto. El Concurso Interactivo GFM también está de regreso, trayendo novedades en las categorías participantes, que este año incluye pilotos de proyectos: series, cortos y largometrajes, juegos digitales, clips y musicales.

En su edición de este año el Festival rendirá homenajes al actor brasileño Lázaro Ramos, a la directora, productora y guionista Carla Camurati, al actor argentino Leonardo Sbaraglia y al dibujante Mauricio de Sousa, creador de Turma da Mônica (Pandilla de Mónica), que este año llegó al cine.

La Vida Útil


Festival de Gramado abre nesta sexta sem diretoras na competição principal

Testemunha de momentos complicados do cinema brasileiro — entre eles a secura de produção no governo Collor, nos anos 1990, quando praticamente não foram lançados filmes —, o Festival de Gramado chega nesta sexta-feira à 47ª edição em meio às incertezas acerca do futuro da Ancine e ameaças do presidente Jair Bolsonaro de “filtrar” o que a agência pode ou não fomentar. “Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, abre os trabalhos às 18h (em sua primeira exibição no Brasil após vencer o prêmio do júri em Cannes ), dando início a uma maratona de nove dias que deve ecoar a pergunta: para onde vai o audiovisual?

— Aqui não há olhar ideológico, e nossas portas estão abertas para realizadores iniciantes conhecerem o cinema que fazemos hoje em todo o país — diz Marcos Santuario, curador de Gramado. — Este ano ainda estamos colhendo frutos de uma excelente safra da produção brasileira, resultado de políticas do audiovisual que deram certo.

Sete títulos disputam o troféu Kikito na principal mostra competitiva, a de longas-metragens nacionais. Entre os destaques, a cinebiografia “ Hebe — A estrela do Brasil ”, de Maurício Farias, com Andréa Beltrão na pele da apresentadora; a dramédia “ Veneza ”, de Miguel Falabella, que acompanha a viagem dos sonhos de uma cafetina à cidade italiana; e “ O homem cordial ”, de Iberê Carvalho, suspense no qual Paulo Miklos interpreta um cantor de rock envolvido na morte de um policial.

— São filmes sobre dramas humanos que não abrem mão do olhar social, uma marca de toda a programação — diz Santuario.

Completam a competição “ 30 anos blues ”, de Andradina Azevedo e Dida Andrade, que discute a síndrome de Peter Pan, caracterizada pela dificuldade de a pessoa se enxergar como adulta; “ Pacarrete ”, de Allan Deberton, história de uma bailarina cearense; “ Raia 4 ”, de Emiliano Cunha, sobre uma nadadora pré-adolescente e introspectiva que alimenta rivalidade com uma colega de treino; e “ Vou nadar até você ”, de Luciano Patrick, sobre a busca de uma jovem fotógrafa pelo pai.

'O homem cordial', de Iberê Carvalho Foto: Divulgação

Se o curador destaca a diversidade narrativa da seleção, por outro há um problema escancarado: não há sequer uma cineasta mulher contemplada na lista. O panorama contrasta com outros festivais ao redor do mundo, como o de Berlim, que este ano anunciou a intenção de atingir paridade de gênero em edições futuras.

— Nosso critério foi a qualidade dos filmes, não levamos em conta gênero nem regionalismo — defende Santuario, que concluiu o processo de seleção sozinho após a morte do crítico Rubens Ewald Filho , em junho, e da cineasta Eva Piwowarski, em janeiro. — Infelizmente não há mulheres na direção, mas de forma alguma isso significa uma ausência de representatividade feminina, tanto no protagonismo dos filmes, quanto em suas equipes.

'Pacarrete', de Allan Deberton Foto: Luiz-Alves / Divulgação
‘Pacarrete’, de Allan Deberton Foto: Luiz-Alves / Divulgação

O Festival de Gramado acontece na serra gaúcha até 24 de agosto, quando acontece a cerimônia de premiação. Ao todo, serão exibidos 19 longas-metragens — latinos e nacionais — em mostras competitivas e 34 curtas, entre gaúchos e nacionais, além de mostras paralelas, sessões especiais, debates e discussões sobre o mercado audiovisual.

O Globo


Festival de Gramado começa nesta sexta-feira na Serra

A abertura oficial do 47º Festival de Cinema de Gramado ocorre nesta sexta-feira (16), às 16h, na Rua Coberta da cidade. Além da presença das autoridades, a cerimônia terá apresentação da Orquestra Sinfônica de Gramado.

 

Premiado em Cannes, 'Bacurau' será o filme de abertura do tradicional evento da sétima arte no Estado

Na sequência, às 18h, a primeira exibição da edição deste ano tem como atração o filme Bacurau, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, premiado em Cannes em 2019. A projeção com audiodescrição e legenda descritiva ocorre no Palácio dos Festivais. Contando com a grande estrela Sonia Braga, uma equipe de 30 pessoas (entre elenco e técnicos) é esperada na Serra para apresentar sua produção.
O longa tem sessões de pré-estreia por todo o País neste sábado (17), incluindo cinemas de Porto Alegre. Tendo Udo Kier no elenco, a obra mostra Bacurau, um povoado do sertão de Pernambuco, sumindo misteriosamente do mapa em um futuro recente. Quando uma série de assassinatos inexplicáveis começam a acontecer, os moradores da cidade tentam reagir. Mas como se defender de um inimigo desconhecido e implacável?
Quem inaugura a competição na noite de sexta-feira (16) é o longa O homem cordial, de Brasília, dirigido por Iberê Carvalho e estrelado por Paulo Miklos. Na faixa das 20h45min, o título será precedido pelo gaúcho A pedra, de Iuli Gerbase, abrindo a mostra competitiva nacional de produções em curta-metragem. Ambos também contam com recursos de acessibilidade.
Outra produção local será exibida na noite de sábado (17). Raia 4, de Emiliano Cunha, é o representante do Rio Grande do Sul entre os longas brasileiros. As exibições dos estrangeiros se iniciam no mesmo dia, com o equatoriano A son of man – La maldición del tesoro de Atahualpa, de Jamaicanoproblem. Antes, às 20h30min, a atriz e realizadora Carla Camurati será homenageada com o Troféu Eduardo Abelin.
Nas tardes de sábado (17) e domingo (18), no Palácio dos Festivais, ocorrem as projeções dos concorrentes à Mostra Gaúcha de Curtas – Prêmio Assembleia Legislativa. Os vencedores serão conhecidos em cerimônia de premiação na noite de domingo (18), após a sessão especial de Legalidade, de Zeca Brito, em homenagem póstuma a Leonardo Machado. Falecido depois do evento do ano passado, o ator, que era apresentador do festival desde 2010, interpretou Leonel Brizola, protagonista do longa.

 

Jornal do Comercio

 

 

También podría gustarte